Por margem mínima, governo Lula sofre derrota no último destaque da reforma tributária

Notícias Políticas

A Câmara dos Deputados aprovou, por uma diferença de apenas 1 voto, o último destaque do segundo turno da reforma tributária nesta sexta-feira (7). Após rejeitar todas as outras propostas de alteração no texto, a base governista precisava de 308 votos favoráveis para derrotar o destaque e manter o texto original, mas obteve apenas 307 votos.

O destaque em questão remove do projeto o item que prorrogava até 2032 a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para montadoras de automóveis localizadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Essa remoção pode criar dificuldades para a instalação da fábrica da empresa chinesa BYD em Camaçari (BA), uma iniciativa anunciada recentemente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Fonte: otempo


O governo Lula sofreu sua única derrota na reforma tributária aprovada pela Câmara dos Deputados. Agora, o projeto será analisado pelo Senado, que tem o poder de fazer alterações no texto. É esperado que os senadores das regiões afetadas pela retirada do item tentem reintroduzi-lo.

O texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi aprovado com 382 votos favoráveis, 118 contrários e 3 abstenções no primeiro turno, e por 375 votos a favor, 113 contrários e 3 abstenções no segundo turno. Agora, cabe ao Senado dar continuidade ao processo de análise da reforma tributária.

Fonte: Blog do Lindenberg

Apesar da derrota no último destaque da votação, o resultado geral da aprovação da reforma tributária representa uma vitória para o governo Lula no Congresso. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também teve um papel importante como um dos defensores do avanço da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) ao longo do ano.

Antes da votação, durante seu discurso na quinta-feira (6), Lira enfatizou a importância da reforma tributária e classificou sua aprovação como um “momento histórico para o país”. Sua posição e apoio contribuíram para a condução do processo e para a conquista desse marco legislativo.