Equipe da USP conquista o 2º lugar em competição mundial de foguetes

Notícias do Mundo


A equipe de foguetemodelismo da Escola Politécnica da USP conquistou o segundo lugar na Spaceport America Cup 2023, a maior competição mundial de foguetes e satélites universitários, realizada no Espaçoporto América, nos Estados Unidos.

A equipe, conhecida como Projeto Júpiter, impressionou os jurados com o lançamento do foguete Juno III, demonstrando excelência técnica durante a apresentação das particularidades desenvolvidas no projeto.

Uma inovação destacada foi a otimização aerodinâmica do formato das aletas, responsáveis pela estabilização do foguete. Essa melhoria foi implementada para aprimorar o desempenho do foguete e facilitar a construção das aletas, tornando-as mais resistentes.

A conquista do segundo lugar nessa competição mundial é um reconhecimento do trabalho árduo e do comprometimento da equipe da USP, que demonstrou competência e criatividade em seu projeto de foguetes.

Fonte: inovacaotecnologica

Samuel Santos detalhou: “O trabalho realizado pela equipe Júpiter mostrou como o truncamento do aerofólio pode proporcionar maior resistência e segurança para as aletas do foguete. Essa conclusão foi baseada em simulações numéricas detalhadas, que receberam grande atenção dos jurados da competição, resultando na indicação da equipe para dois prêmios técnicos.”

As premiações incluíram o Gil Moore Award, que reconhece a excelência em modelagem e simulação, colocando o grupo entre as seis equipes selecionadas, e o prêmio Jim Furfaro, pela excelência técnica, no qual a equipe conquistou o segundo lugar.

A construção das aletas do foguete foi inspirada em pesquisas semelhantes realizadas nos setores automobilístico e de ciclismo. O projeto consistiu em desenvolver uma aplicação semelhante para foguetes. As várias simulações numéricas foram validadas com sucesso por meio do lançamento e recuperação do foguete com as aletas permanecendo intactas.

A equipe Júpiter demonstrou sua expertise em engenharia e inovação, conquistando reconhecimento e destaque na competição mundial de foguetes. Seu trabalho inovador e a dedicação ao aprimoramento aerodinâmico das aletas do foguete foram fundamentais para sua posição de destaque na competição.

Fonte: Jornal da USP

O campeonato mundial contou com a participação de 158 equipes de 24 países, incluindo outras quatro equipes brasileiras compostas por alunos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade de Brasília (UnB).

O Projeto Júpiter é aberto a estudantes interessados e não é necessário ser aluno de engenharia, sendo suficiente estar matriculado em uma instituição de ensino superior. O processo seletivo ocorre no início de cada semestre, com vagas disponíveis em cinco áreas técnicas (Aerodinâmica, Cargas Experimentais, Propulsão, Recuperação e Sistemas Eletrônicos) e duas áreas administrativas (Financeiro e Marketing).