Arcabouço fiscal será votado em agosto com “ajustes mínimos”, afirma Lira

Notícias Políticas

Em entrevista ao programa Estúdio i, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), anunciou que a votação do arcabouço fiscal foi adiada para o mês de agosto. Lira explicou que o relator do projeto não estava presente em Brasília, o que impossibilitou a votação antes do recesso parlamentar. Segundo ele, o arcabouço fiscal será votado com “alterações mínimas” em relação ao texto previamente aprovado na Câmara antes de ser enviado ao Senado.

Fonte: Carta Capital


Durante entrevista, Arthur Lira ressaltou que toda a atenção estava voltada para a votação da reforma tributária, e o adiamento da votação do arcabouço fiscal não deve atrapalhar os encaminhamentos. Segundo o presidente da Câmara, o arcabouço fiscal foi votado nas duas casas legislativas, passando por alterações no Senado, incluindo a exclusão do Fundeb dos limites de gastos.

Fonte: Câmara dos Deputados

Lira mencionou que haverá “alterações mínimas” no texto aprovado na Câmara antes de seguir para o Senado, mas não especificou quais seriam essas alterações. O foco das reuniões foi o apoio para votar o arcabouço fiscal, mantendo-o em conformidade com o texto aprovado anteriormente.